O casal precisa de um tempo a sós










Há quem diga que é importante que o casal tenha filhos logo, para formar uma família e assim todos se desenvolverem juntos. Outros acreditam que o casal precisa de um tempo antes de ter uma criança, para fortalecerem seus laços. Mas até onde ter um tempo a sós fortalece a relação entre eles e com a família?

Segundo a psicóloga Cristiane Pertusi há um senso comum que diz que um casal somente deve ter filhos depois de dois anos de casados. “É nos dois primeiros anos que eles começam a se fortalecer como casal, isso significa ter uma boa comunicação, desenvolver objetivos em comum e desenvolver o interesse pelo outro.”

Outro fator importante que o casal desenvolve nesses primeiros anos a sós é a criação de regras somente deles. “Cada um vem com seu histórico familiar e eles devem chegar a um senso comum de como levarão a vida entre os dois. Essa negociação não é explícita e acontece naturalmente”, completa Cristiane.

Para ela, essas novas regras fazem parte do processo de maturidade do casal. “Primeiro eles se desprendem da família de origem, depois criam novas regras e um novo padrão de comunicação. É por isso que esse tempo de estarem a sós é importante, qualquer interferência extra pode influenciar na vida do casal e isso não acontece somente em relação aos filhos, mas também aos pais que não querem perder espaço na nova vida do filho.”

Quando um filho chega
É claro que chega um momento que o casal pode desejar ter um filho. “Quando isso acontecer é importante que eles consigam manter a identidade do casal, para ter uma estrutura familiar concreta”, explica a psicóloga.

Para o casal manter essa identidade criada até o momento é preciso que eles separem tempo para estarem juntos, mesmo depois de um filho. “Devem conservar a intimidade, ter prazer na companhia do outro, cultivar a comunicação, falar das questões de adultos, ter a conquista diária podendo namorar o outro, assim como nos primeiros anos de relacionamento. É preciso atenção entre o casal, pois 70% das separações ocorrem quando há filhos pequenos”, enfatiza Cristiane.

É importante salientar e lembrar que o contexto familiar começa com dois indivíduos, desde o momento da concepção até o nascimento do filho, e também termina a dois. “A família começa como casal, depois chega a etapa dos filhos pequenos, na adolescência, jovens, adultos, vem a fase do ninho vazio, onde os pais sentem a saída do filho de casa, e lá estão os dois novamente, como casal”, ensina.

É por isso que é importante manter essa base da vida conjugal. “Mesmo depois de serem pais é preciso ainda se olharem, se encontrarem. Com o casal mais unido é possível dar suporte aos filhos em qualquer fase que eles estejam, até porque casais que vivem bem a vida íntima e há essa cumplicidade serão exemplos para os filhos, em relação às suas escolhas conjugais do futuro.”

Dicas de como manter a vida conjugal

Para conseguirem ter uma vida a dois mesmo depois dos filhos, é preciso que ambos alimentem a relação. “É necessário surpreender ao outro, combinar um dia para estarem juntos, ir ao cinema e até mesmo viajar, sem falar de fazer jantar romântico, ir aos lugares que iam quando namorados, escrever cartas, enfim, há muito que se pode fazer, basta querer”, finaliza Cristiane.

Postar um comentário