O cristão e o futebol

O Futebol é o tema do ano. Pela primeira vez o continente africano sedia um evento esportivo mundial: a Copa do Mundo. O Brasil, mais uma vez, é favorito para conquistar o título.

O brasileiro tem uma predileção especial pelo futebol. Dizem até que o brasileiro nasce com a bola grudada no pé. Millor Fernandes, genial frasista brasileiro, declara: "O futebol é o ópio do povo e o narcotráfico da mídia". Como entender a massa ensandecida que apoia o seu time, chora nas derrotas, vibras com as vitórias, derruba e consagra jogadores? O âmago é a paixão.

O torcedor é um sujeito apaixonado. É capaz de dormir no relento, com frio para conseguir um ingresso para ver o jogo do seu time. Frequenta banheiros fétidos, arquibancadas em péssimas condições de preservação e sujeita-se a ser pisoteada pela massa, mas não deixa de ir ao estádio.

O futebol virou uma nova religião. Os clubes brasileiros - os europeus já descobriram o filão faz muito tempo - exploram a reação apaixonada do torcedor lançando milhares de produtos com a marca do clube. Há pessoas que pintam toda a casa da cor do clube, emblemam o carro com o escudo do seu time e se a mulher ou os filhos discordarem se suas atitudes ele prefere ficar com a sua paixão.

O futebol virou uma religião. Chegará o dia em que as igrejas primeiro consultarão o calendário do campeonato brasileiro para depois marcar a hora do culto. Sim, pois os cristão não são menos fanáticos que os demais torcedores.

Muitos que reclamam do desconforto das cadeiras da igreja não incomodam-se com a dureza da arquibancada. Não frequentam vigilias de oração, mas fazem vigilias em aeroportos ou em frente a hoteis para ver o seu idolo. Não leem a Bíblia pois o tempo é curto mas assistem todas as partidas possíveis pela televisão. A oração é penosa porque falta conteúdo: eu não sei orar. Mas conhece todas as escalações do seu time.

A relação do cristão com o futebol está em cheque. Paulo alerta: "Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra". A paixão pelo futebol não pode competir com a paixão por Jesus. Não se pode servir a dois senhores. Pois onde está o nosso tesouro alí estará o nosso coração.

A minha oração é para que os cristão tenham uma relação saudável com o futebol, assim como devemos ter em relação a todas as circunstâncias da vida. Caso contrário, se Jesus retornar em meio a uma final de campeonato muita gente vai ficar com a bandeira do seu time na mão.

FONTE: http://pastorjairpedroso.blogspot.com/
Postar um comentário