Eu quero apenas uma segunda chance!

MSG DO BLOG PASTOR MARCOS PAIVA...


"A história de vida das pessoas nos inspira a nos educar em nosso viver fazendo com que coisas boas da vida venham ser desenvolvidas e ao mesmo tempo, tudo que  é nocivo seja lançado fora. Precisamos ver nossa vida como um jardim e, nós mesmos, o jardineiro. Planta-se a semente, espera crescer, vê flores e frutos, mas não se pode deixar de lado os cuidados de regar, adubar a terra e principalmente retirar as ervas daninhas que, do contrário sufocarão a o desejo de viver.
Existiu um homem que vivia em uma posição muito privilegiada, afinal era rei de uma grande nação(*), fazia coisas retas, era íntegro, procurava desenvolver sua espiritualidade não em rituais, mas numa vida vivida para Deus. Certa vez, um dos seus conselheiros chegou para ele e lhe disse que estaria doente e que esta doença seria para a morte. Como qualquer um de nós, ficou muito aborrecido, mas por ter uma intimidade com Deus, orou e Deus lhe deu mais quinze anos de vida, para que não apenas vivesse, mas consertasse a sua casa.
Na minha vida de médico encontro com pessoas nesta situação todos os dias – com as notícias ruins, que de certa forma, mesmo com tratamentos específicos e atuais, sabemos que “os dias ou anos estão contados”.
O que mais as pessoas querem (nós) ao recebermos esta notícia é “Ah! Se eu pudesse ter mais uma chance!”. Isto não acontece apenas com doenças, mas com decisões que tomamos e que depois percebemos que nos causam grandes transtornos por terem sido tão equivocados ou até mesmo prematuras ou postergadas.
Existem circunstâncias na vida que realmente não temos uma segunda chance. Imagine uma pessoa que trabalha com eletricidade e de repente troca as posições dos fios, ou recebe uma carga elétrica, dificilmente haverá uma segunda chance.
Outros que estão vivendo nos vícios, não apenas crack, cocaínas ou drogas pesadas, mas fumo, álcool, medicamentos, não percebem que se não houve uma tomada de posição não haverá uma chance de retornar a uma vida saudável, e sempre estarão dizendo “gostaria de ter uma nova chance, de voltar um tempo atrás e decidir de maneira diferente.”.
Aquele primeiro caso que falamos, sobre o rei, ele viveu mais quinze anos e consertou sua casa, temos muitos exemplos de pessoas que tiveram a segunda chance quando foram livres dos seus vícios, dos erros das suas decisões.
Mas será que algo poderia ser feito para que evitássemos sofrer as consequências da segunda chance? Vamos lá, você me ajudará em muitas outras.
1 – Nunca pense que tudo na sua vida está correto, pergunte-se sempre onde eu possa estar errado. Tenho certeza que sempre vamos encontrar alguma coisa que precisa ser consertada em nossos sentimentos, emoções, vontades e atitudes.
2 – Não permita que seja dominado pelo pensamento de que não adianta mais nada a fazer, estou perdido, não há solução. Aquele rei saiu em direção ao seu quarto e clamou ao seu Deus, pessoas estão tomando decisões de se livrarem dos vícios e de estilos de vidas que trazem danos as suas emoções, sentimentos e vontades.
3 – Divirta-se bastante, alegre-se, curta a vida, mas nunca se esqueça de descansar. O que mais vejo no consultório são pessoas tão presas as atividades e aos seus compromissos que se esquecem que um bom tempo de sono e descanso nos restaura e nos faz pensar e agir melhor.
4 – Não permita que sua vida seja levada e dominada pelas distrações da vida. Hoje vivemos a maravilha da internet, das redes sociais, mas você já pensou no quanto ela lhe afasta dos seus focos de vida profissional, sentimental, dos seus relacionamentos de amizade. O que é mais comum hoje é vermos uma família almoçando ou lanchando enquanto isto as pessoas nos seus tablets, iPods e tantos outros equipamentos curtindo pessoas que estão longe e não conhecem e não desfrutam daqueles que estão perto de você.
5 – Vige as oportunidades. Muitos dizem que as oportunidades não chegaram a sua vida. Engano puro! Apenas não perceberam, não se animaram a leva-las adiante ou até mesmo foram preguiçosos em lutar por elas. Abrace cada oportunidade que apareça em sua vida. Quando aquele rei soube de sua doença, se agarrou a oportunidade que Deus lhe deu.
6 – E por fim, como sempre lhes escrevo, desenvolva a sua espiritualidade e não a sua religiosidade. Religiosidade é você frequentar e realizar os costumes de uma determinada religião, espiritualidade é você desenvolver a sua comunhão com Deus. Comunhão com o Criador nos faz compreender melhor o significado da vida e descobrir que mesmo tendo errado ele nos dá uma nova oportunidade, uma segunda chance.
Um grande abraço,
Que Deus lhe abençoe abundantemente.
(*) Rei Ezequias, Leia sua história em II Reis capítulo 20. Vale a pena. Outros ensinamentos você poderá tirar para a sua vida"

Postar um comentário