Sensibilidade à flor da pede

Marta estava cansada, tinha convidados em casa e lá estava Maria, sentadinha sem ajudar em nada!
Não se conteve e reclamou com Jesus!
“Senhor, mande que ela venha me ajudar!!” disse Marta.
“Marta, Marta, sua irmã escolheu a melhor parte e isso não será tirado dela!”
****
Com sua mãe, Maria, Ele disse:
“Mulher, que tenho eu contigo?”
****
Certa vez o Senhor Jesus estava ensinando aos Seus discípulos a importância de que Ele fosse rejeitado, que padecesse muito e que fosse morto, mas que depois de três dias ressuscitaria…
Pedro, na maior inocência e creio que até pensando em agradar, disse que não deixaria isso acontecer, no mesmo momento o Senhor Jesus o repreende:
“Arreda-te, satanás!”
****
Quero agora pedir que vocês se coloquem no lugar destas pessoas e pensem em como vocês se sentiriam se estivessem em seus lugares.
Olha, já posso até ver…
“Quanta injustiça, Jesus deixou Maria lá sentada enquanto eu fazia tudo sozinha! Fiquei tão sentida e envergonhada! Agora mesmo que Maria nunca mais vai me ajudar nas coisas da casa!”
“Meu próprio filho falando assim comigo! Estou arrasada!”
“Buááá, Jesus me chamou de satanás… e pior, na frente de todo mundo!!!”
****
Queridas amigas, se tem algo que o Senhor Jesus nos ensina com esses exemplos é que não devemos ser sentimentalistas e tampouco demasiadamente sensíveis.
Imaginem o que teria sido de Pedro, Marta e Maria se tivessem se sentido ofendidos e com mágoa do Senhor Jesus por causa da maneira que falou com eles, ou por terem sido repreendidos na frente de todos?
Muitas vezes usamos muito sentimentalismo e nos tornamos muito mais sensíveis e assim, mais inclinadas a guardar mágoas. Nos tornamos de cristal e qualquer palavrinha mal colocada de alguém, pode nos quebrar em pedacinhos!
Essa não é a fé que o Senhor Jesus nos ensina. Muitas vezes você pensa: “O Senhor Jesus nunca falaria assim comigo…”
Será que não?
Amigas, quantas vezes ficamos ressentidas quando repreendidas? Quantas vezes ficamos tristes por algo que alguém falou de nós? Chega! Isso precisa ter um fim!
Não estou dizendo que é fácil, ou que é para você não sentir nada—de forma alguma! O que estou dizendo é que precisamos estar atentas e orar mais e lutar em oração quando algo assim acontece. Quando começamos com aqueles pensamentos do tipo “Quem é ela (ou ele) pra falar assim comigo?Puxa vida, eu não merecia esse tratamento.O que fiz para merecer isso?Meu Deus, olha o que ela falou de mim…”, precisamos repreendê-los, pois alimentar esses pensamentos não vai ajudar em nada; só vai piorar!
Quando algo similar acontecer, vigie seus pensamentos e os repreenda.
Troque esses pensamentos por uma análise de si mesma:
·                                 O que o Senhor quer me ensinar com isso?
·                                 Onde eu estou errando?
·                                 O que posso fazer para mudar?
·                                 O que posso fazer para que isso nunca mais aconteça?
Se o que aconteceu é algo que parece sem fundamento, ore pela pessoa de forma positiva, para que o Senhor Jesus venha abençoá-la.
Aconselho também que não se distancie dela, mas que se aproxime e prove ser o contrário daquilo que ela falou. É claro que isso vai depender muito das circunstâncias, pois existem pessoas que são muito difíceis e o melhor mesmo é manter a distância, mas tudo com um coração limpo, sem raivas, ressentimentos ou mágoas.
Não seja uma menina de cristal, cheia de sentimentalismo e fácil de se machucar. Temos de ser páreo duro para o diabo. Mulheres de oração, SENSÍVEIS à voz de Deus, mas INSENSÍVEIS à voz e às provocações do diabo!

(Texto extraído do meu livro, ’40 Segredos Que Toda Solteira Deveria Saber’.

   
Postar um comentário