Oração

A oração que Jesus critica duramente:

Para Jesus não é qualquer oração que leva ao encontro do Reino, à experiência de Deus. Jesus critica duramente formas deturpadas de oração:

 1.                A oração como autocontemplação (Lc 18:11);
 2.                A oração exibicionista, sem humildade (Mt 6:5-6); 
3.                A falação mecânica e superficial sem o compromisso pessoal (Mt 6:7ss); 
4.                A oração separada da ação (Mt 7:21); 
5.                A oração comercializada e opressora, carente de gratuidade/graça (Mt 23:14), 
6.                A oração sem compromisso com a palavra ( Pr 28:9)


"A oração realiza grandes coisas - um testemunho do poder da oração"


“Nadia, por exemplo, passou alguns meses na prisão apenas por ser cristã. Um de nossos colaboradores se encontrou com ela e Nadia contou sua história. Em uma ocasião, ela disse para os oficiais da prisão que não daria nenhuma informação sobre as pessoas que ela conhecia ou sobre seu marido; apenas falaria sobre si mesma. Isso fez com que ela ficasse em uma solitária por 4 dias. Essa cela mede 2m x 3m. “Fazia muito frio lá”, ela conta. “E não havia banheiro, nem nada disso. Em certo momento, estava com muito frio e a experiência foi muito difícil. De repente, senti uma brisa quente soprando em meu rosto; tão quente que quando respirei fundo e o ar entrou em meus pulmões, comecei a tossir”.

Ela não tinha idéia de onde aquele calor vinha e, ao mesmo tempo, estava muito feliz. Essa sensação de alegria a invadiu de tal forma que Nadia começou a louvar na cela. Ela estava confusa. Ela se perguntava como conseguia sentir calor em um lugar frio como aquele? “Então, eu ouvi uma voz”, ela enfatiza que não era uma voz interna, e sim audível, “como se alguém dentro da cela estivesse dizendo: ‘Isso é porque pessoas estão orando por você. Esse é o espírito de alegria que está sobre você’”.

Tempos depois, quando foi solta, Nadia compartilhou sua experiência na cela da prisão com a sua irmã. Quando ela contou quando o fato havia ocorrido, sua irmã disse que era a hora e o dia exatos em que 32 cristãos se encontraram para orar por ela. Dois cristãos foram para outro lugar para representar Nadia e outro cristão que estava preso, enquanto os outros 30 irmãos se reuniram para pedir a Deus que os confortasse e enviasse seu espírito de alegria sobre eles.

Michael encerra o relato dizendo: “O testemunho foi de grande encorajamento para esse grupo de oração, e para todos os outros que dobram os seus joelhos para orar por cristãos em situação semelhante”.


Quem não se lembra do famoso Biotônico Fontoura!? Pois é, trata-se de um medicamento que existe até hoje e que tem como principal função atuar como fortificante e antianêmico. A pessoa que tem anemia se sente com fadiga, com fraqueza, com indisposição paras as atividades da vida, com moleza, se cansa fácil. 
Ou seja, o biotônico age para trazer novamente à pessoa a força necessária para que ela viva da melhor forma. Ele ergue o que está fraco fisicamente. 

Nesse sentido, na vida espiritual, o nosso biotônico chama-se oração. Pessoas que não oram caem em fraqueza e ficam debilitadas com o tempo. Ficam anêmicas. Perdem as forças espirituais, ficam indispostas, fracas, cansadas, desanimadas. É o que mais vemos na vida das pessoas hoje. Grande parte das pessoas de nossa sociedade estão anêmicas, doentes. Isso porque estão distantes do fortificante, distantes da oração e dos benefícios de ter esse tempo de comunhão com Deus, que é o principio ativo desse biotônico.

Se observarmos os grandes homens de Deus, veremos que eles tomavam grandes doses de biotônico [oração] no seu dia-a-dia e isto os capacitava e os fortalecia para as obras da vida. Daniel tomava três doses de biotônico [oração] por dia como o texto nos indica: “Daniel, pois, quando soube que a escritura estava assinada, entrou em sua casa e, em cima, no seu quarto, onde havia janelas abertas do lado de Jerusalém, três vezes por dia, se punha de joelhos, e orava, e dava graças, diante do seu Deus, como costumava fazer.” (Dn 6. 10).

Sem dúvida, Jesus foi o homem mais dependente da oração, e por isso foi forte o bastante para realizar Sua difícil missão. Ele sempre e de diversas formas orava: “Tendo-se levantado alta madrugada [Jesus], saiu, foi para um lugar deserto e ali orava.” (Mc 1. 35)

Os exemplos são diversos. Todos os grandes homens de Deus foram homens de oração. Todos os homens de Deus tomavam do biotônico e eram fortalecidos dia a dia.
Para finalizar, exponho a grande dica do apóstolo Paulo, que com certeza, tomava altas doses de oração e por isso foi quem foi. Ele disse: “Orai sem cessar.” (1Ts 5. 17). Simples e direto!


Postar um comentário