Até onde você pretende ir? Qual a sua meta?

Uma pequena lagarta começou o seu dia caminhando em direção ao cume de uma montanha. Muito próximo dela se encontrava um vaga-lume que lhe perguntou“Até onde você pretende ir? ”

Sem deixar de caminhar, a lagarta respondeu: “Esta noite tive um sonhe que estava bem no topo da montanha olhando todo o vale. Gostei muito do que vi em meu sonho e decidi realiza-lo. ”

Surpreendido com a resposta, o vaga-lume resmungou consigo mesmo enquanto seu amigo se distanciava. “Este cara deve estar louco, como poderia chegar até aquele lugar, se você é uma simples lagarta? ” “Uma pedra será uma montanha, uma pequena poça um mar e qualquer tronco uma barreira intransponível. ”

Mas o pequeno gafanhoto já estava longe e não o escutou. Seus pequenos pés não deixaram de se mover.

Logo se ouviu a voz de um besouro: “Ei lagarta, até onde você vai com todo este empenho. ”

Já bastante suado o gafanhoto lhe disse de maneira ofegante: “Tive um sonho e desejo realiza-lo. Subirei esta montanha e lá de cima poderei contemplar todo o nosso mundo.

O besouro não pode suportar e deu aquela gargalhada, soltou suas risadas e gritos e disse: “Nem eu com pés tão grandes e uma carcaça tão endurecida intentaria uma tarefa ambiciosa como esta. ”

E rolava no chão de tanto rir enquanto a lagarta continuava seu caminho.

Do mesmo modo, a aranha, o sapo, a rã, a toupeira e outros animais aconselharam a nosso amigo a desistir de seu sonho. “Jamais você conseguirá! ” disseram eles, mas em seu interior havia um impulso que o obrigava a seguir adiante.

Já esgotado, sem forças e a ponto de morrer, decidiu parar para descansar e construiu com seu último esforço um lugar para pernoitar. 
“Amanhã estarei melhor.”  Disse, adormeceu e não mais acordou.

Quando amanheceu todos os animais do vale iam até onde estava a lagarta para ver seus restos mortais. E diziam: “Este foi o animal mais louco de todos nós. ”

Para eles era alguém que tinha construído um monumento a insensatez. O último lugar digno de alguém que morreu simplesmente porque deseja realizar um sonho para muitos irrealizável.

Num dos dias seguintes o sol brilhava de uma maneira especial e os animais foram até aquele lugar onde estaria aquela carcaça de uma lagarta. Era o símbolo da advertência para os atrevidos e ousados. Mas ao chegarem próximo ficaram atônitos e surpresos.

Aquela carcaça dura começou a quebrar-se e assombrados perceberam que surgiam antenas, olhos, pernas até que pouco a pouco começaram a ser liberadas as asas coloridas e aquela borboleta começou a voar em direção a montanha e realizava o seu sonho.

O que podemos aprender de tudo isto?
      
1. Sempre quando temos um sonho haverá pessoas para nos dissuadir a desistir dele.

2. Sempre haverá pessoas que estarão rindo e zombando do nosso esforço para que realizemos o sonho de nossas vidas.

3. Não existe realização de sonho sem sacrifício e esforço.

4. Realizar sonhos exige empenho, dedicação e, principalmente,

5. Os verdadeiros sonhos, os sonhos de Deus, só são conquistados quando deixamos nossa natureza humana e passamos pelo novo nascimento.

6. Os projetos de Deus somente se cumprem em nossas vidas quando morremos para nós mesmos e vivemos para Ele...

Deus lhe dá a oportunidade de transformar em realidade os sonhos que Ele tem para a sua vida.

Um grande abraço, Deus o abençoe rica e abundantemente.

Marcos de Paiva, 
Pastor da Ig. Nova Vida Niterói, Médico Clínico e Gastroenterologista



Postar um comentário