Como você reage enquanto espera o milagre de Deus?

Talvez você já tenha ouvido falar da mulher sunamita, cujo nome não é revelado na Bíblia. A história dela está em 2 Reis 4. 8-37 e relata que aquela mulher era rica e insistia que o profeta Eliseu realizasse as refeições em sua casa sempre que ele passassem por Sumém, local que ela morava. Depois ela também sugeriu ao seu marido que fizessem um quarto muito bem mobiliado na casa dele, a fim de servir de aposento ao profeta.

Imagino que Eliseu se sentia à vontade naquela casa e por isso sempre retornava tentava retribuir. Em certa ocasião Eliseu pediu que seu servo Geazi chamasse aquela mulher e perguntasse o que eles poderiam fazer em gratidão, e ela respondeu que não era necessário nada, pois ela estava bem. No entanto, mesmo com essa resposta dela, eles queriam retribui-la e chegaram a conclusão que ela ficaria feliz se tivesse um filho, mas isso era impossível aos olhos humanos, pois seu marido já era idoso. Eliseu profetizou que ela teria um filho em 1 ano. Ela considerou improvável na hora que ele profetizou mas por saber que Eliseu era homem de Deus, ela sabia que o que ele estava profetizando realmente vinha de Deus.

Após 1 ano a mulher engravidou, mas com o passar dos anos aquela criança veio a falecer. Ela agiu estranhamente ao colocar o filho morto na sua cama, no quarto em que Eliseu ficava hospedado quanto estava em sua casa. Ela não se desesperou pois confiou que Deus mudaria o quadro da situação, já que aquele filho tinha nascido por promessa dEle para com aquele casal. Determinada ela não compartilhou o ocorrido com ninguém, nem mesmo com seu esposo, e contou somente para quem de fato poderia de alguma forma ajudar a resolver o problema. Para o marido ela só disse “não se preocupe”. Para Geazi “vai tudo bem”. Para Eliseu ela compartilhou o ocorrido. Diante disso, Eliseu mandou Geazi ir na frente e tentar ressuscitar o menino, mas nada aconteceu pois essa missão era de Eliseu e não de Geazi. Então, reconhecendo isso Eliseu foi, orou e fez um ato profético. O menino espirrou 7 vezes e abriu os olhos.

Você acha que o fato da mulher ter sido fiel a Deus e honrar o profeta, sem esperar nada em troca contribuiu para que Deus se compadecesse dela quando ela precisou? Será que temos agido assim com as pessoas ao nosso redor, tratando-as bem e oferecendo a elas o melhor, independente do que elas podem nos oferecer ou somente quando elas tem algo para nos oferecer?

A atitude dela de selecionar a pessoa que saberia do problema é algo que precisamos aprender. Contamos nossos problemas para qualquer pessoa e a situação acaba se agravando pois cada uma das pessoas que ficam sabendo nos dão conselhos e informações que muitas vezes acabam nos desanimando, nos tirando do foco e da direção que Deus gostaria que estivéssemos, pois damos ouvidos às palavras de desânimo quando deveríamos continuar a caminhada, ou de incentivo quando deveríamos ir para a direção oposta.

Como devemos lidar com os problemas? Exigindo que Deus faça o milagre que queremos ou entendendo que não merecemos mas que Sua misericórdia nos alcança e por isso podemos conquistar Suas promessas?

Uma mensagem para reflexão...
Juliana Meni
Postar um comentário