Ame ao seu próximo como a si mesmo

Paz queridos!

Estava meditando em Provérbios 14 (versículos 21 e 31) e senti o desejo de compartilhar algo que venho pensando há alguns dias. A Bíblia nos diz que Deus não faz acepção de pessoas, e Ele se alegra quando ao invés de desprezarmos o necessitado o acolhemos como se fosse uma pessoa muito próxima e amada. Ele nos ensina a amarmos o nosso próximo como a nós mesmos justamente na ideia de nos compadecermos da necessidade do outro na mesma intensidade que ocorre quando a necessidade é nossa ou de um parente/amigo por exemplo. É olhar para o outro e fazer o possível para ajudá-lo, seja em que área for. Aquele que honra o necessitado honra a Deus, é o que diz a Palavra.

Muitas pessoas deixam de ajudar aos necessitados (estou falando aqui especificamente de moradores de rua) e justificam que são de responsabilidade do governo. Isso é uma desculpa para tentar se isentar da responsabilidade que é de todos: fazer o bem. O que estiver ao nosso alcance para ajudar o nosso próximo assim devemos nos esforçar para fazer. Às vezes o que consideramos bobagem para nós pode fazer diferença para outra pessoa... esta mensagem não é só para vocês que está lendo, mas para mim também... Quantas vezes vemos um morador de rua com frio e não somos capazes de ceder um dos vários cobertores e edredons que temos em casa? Quantas vezes passamos por eles e nem um bom dia desejamos? A maioria passa por eles e ignora como se não estivessem ali, mas certamente um “bom dia”, faz toda a diferença.

Quando paro para pensar nisso me lembro de alguns lindos exemplos de amor ao próximo, INDEPENDENTE de religião. Lembro-me de um casal conhecido da minha mãe que compartilhou certa vez ter acordado ainda mais cedo em uma madrugada, bem antes do que acostumavam acordar para trabalhar, e levaram ao centro de Campo Grande vários cobertores para distribuir aos moradores de rua. Pare para pensar! Esse casal segue uma religião espírita, e independente de qual seja o foco da fé deles, de qual seja o alvo espiritual, pense: eles estão fazendo algo que Jesus nos ensina ou não??? E nós que dizemos com a boca cheia sermos “super crentes” será que estamos fazendo a metade do que esse casal fez? Será que nossos pensamentos e atitudes em relação ao próximo estão fazendo Jesus nos dizer “parabéns, é isso que eu desejo”!

Outro exemplo é uma amiga linda, princesa do Senhor. Ela tem o hábito de cumprimentar moradores de rua. Eles se alegram com isso pois para muitos eles nem estão ali. São ignorados totalmente e quando alguém os cumprimenta, certamente se sentem importantes. Eu acho isso lindo!

Um outro exemplo é uma jovem que conheci. Essa jovem está afastada mas também tem atitudes que certamente agradam ao Senhor, pelo menos no que tange a amar o próximo. Ela compartilha os alimentos que possui. Se ela estiver comendo alguma coisa e passar por algum morador de rua, ela pergunta se ele deseja, e dá a ele o que está sendo consumido.

As pessoas acham estranho pois essas coisas não são comuns. Ver alguém cumprimentando um morador de rua sugere alguém louco, sem noção. As pessoas ficam escandalizadas pois estão acostumadas a ignorá-los.

Eu tenho o hábito de passar por moradores de rua e imaginar onde possa estar a família dele, o que pode ter feito com que ele tenha ido morar na rua, e clamo por aquela pessoa. Sinceramente faço isso de uma forma muito superficial e sinceramente nem sei se é recebido com cheiro suave às narinas de Deus, mas eu sei que deveria fazer isso de uma forma mais intensa. Estou sendo sincera... E ainda que eu faça isso de forma que agrade a Deus, ainda não é o suficiente. Eu tenho que clamar mais, ser mais objetiva, e fazer a parte prática. De que adianta ver, ouvir e não fazer algo que possa mudar a história daquela pessoa? E vejo a cada dia que não estou fazendo nada! Nada, nada! Meu Deus, como somos hipócritas e egoístas...

E você, tem obedecido aos ensinamentos do Senhor com relação ao amor ao próximo? Amar é uma questão de consciência e ação. Reflita sobre isso e a partir de hoje passe a observar qual tem sido seu sentimento e reação diante dos moradores de rua.

Bom, é isso!

A Paz 

Postar um comentário