TIPOS COMPLICADOS DE MARIDOS


1º) Marido explosivo e dominador
Esse tipo de marido sofre algum sentimento de inferioridade. Esse comportamento
pode ter começado na infância ao tentar controlar seu ambiente gritando ou vociferando constantemente. Ele sempre quer ter razão. Não pode suportar a idéia de estar errado acerca de nada.

Um homem assim tiraniza e domina através do medo que impõe através da elevação da sua voz, ou se é um pouco menos agressivo, através de discussão intensiva que parece nunca acabar, até que esteja certo de ter esmagado seus adversários.

A imaturidade emocional e insegurança são as dificuldades básicas neste caso.
A qualquer custo, por mais ridículo ou ilógico que seja uma discussão, ele sente que deve manter sua elevada posição de “superioridade”.

Ele pensa que sua esposa deve ser ajudada e mudada, ele não. Um homem assim não será mudado por ação direta ou manipulação. O que ele realmente precisa é ver como um homem ajustado é controlado pelo Espírito Santo: “Não por força, nem por violência, mas pelo meu Espírito, diz o SENHOR dos Exércitos” (Zc 4.6); “Toda amargura, e ira, e cólera, e gritaria, e blasfêmias, e toda malícia sejam tiradas de entre vós” (Ef 4.31).

2º) Trabalhador compulsivo
O marido trabalhador compulsivo tem uma espécie de ansiedade, uma insegurança,
que o impele a estar constantemente ocupado. Um homem com esta obsessão raramente tira férias, trabalhando longas horas, convencendo-se a si mesmo que não há tempo para outras atividades.

Ele está muitas vezes evitando contato mais íntimo com amigos, esposa ou filhos. Está inconscientemente procurando uma maneira socialmente aceitável de fugir de conflito ou tensão. Pode mesmo nem dispor de tempo para comunhão com Deus. Isto é fuga e pode frustrar a esposa, que deseja mais tempo e atenção por parte dele.

Em vez de exigências, lágrimas e ultimatos, a esposa de um homem assim deve
encontrar uma maneira sábia de tornar o lar um lugar onde ele se sinta á vontade.

3º) Marido não comunicativo  
“Meu marido nunca conversa comigo” - é uma reclamação comum das esposas. Há muitas categorias nas quais esses homens se enquadram:

A) Tímido e apático. 
Pode ser que quando criança foi acostumada a estar de “bico
calado”, dominado por pais muito rigorosos. Por isso, ele se tornou incapaz de sustentar uma conversa mais extensa. Tende a manifestar comportamento passivo.

Qualquer que seja a causa do problema, não devem ser forçados a se comunicar.
Cremos que um indivíduo assim, necessita de ajuda e cura interior. O Espírito Santo
pode efetuar mudanças no seu temperamento. A esposa não deve desanimar, e ele
deve reconhecer essa falha e desejar mudança.

B) Forte e fraco. 
Ele pode ter considerável força interior, que se revela no trabalho, e
mesmo assim ser incapaz de se comunicar com as pessoas. Em casa também não
conversa sobre as coisas em que sua esposa está interessada. Esse tipo de homem
tende a lidar exclusivamente com suas coisas, e sente-se deslocado quando confrontado por sentimentos. As esposas de tais homens freqüentemente tendem a pressionar, testar, e manipular, no esforço de conseguir algum tipo de resposta emocional. O marido reage com explosão de ira, ou muita hostilidade.

C) De conversa superficial. 
Ele é capaz de manter uma conversa sobre quase tudo, com todos, desde que não envolva sentimentos e emoções. Por isso também não se envolve em assuntos espirituais. No entanto, não se conhece uma pessoa enquanto não se sabe o que ela sente, não abre o coração. O comum da esposa é querer conhecer o marido no nível de sentimento, saber o que ele sente a respeito de si mesmo, e da vida dela.

Isso pode ser fonte de frustração para ela.

4º) Marido crianção irresponsável
 Nunca se desligou da saia da mãe, e mantém com a esposa o mesmo tipo de
dependência que tinha para com sua mãe. Ele é freqüentemente passivo e evita
responsabilidades. Essa característica é ,muitas vezes, o resultado de um pai fraco e indiferente e uma mãe super protetora. Certamente esses maridos têm que crescer, e para isso acontecer será preciso uma combinação, de paciência e confronto.

5º) Marido falador
 Gosta de monopolizar uma roda de conversas. Fala “pelos cotovelos”, mas pouco se aproveita do que fala. É sempre o “sabe-tudo” e o que tem a última palavra. Muitas vezes procura mostrar que é “o bom”. Essa atitude é o resultado aparente de
profundas inseguranças interiores e complexos de inferioridade.

6º) Marido caladão introvertido
 Esse tipo prefere se omitir, fugir a uma situação que não possa suportar.

Aparentemente ele não manifesta nenhum sentimento para com sua esposa. Nunca se defende quando sua esposa despeja uma tonelada de exigências e reclamações. Ele simplesmente se omite e silencia-se. Um homem assim é incapaz de expor seu coração.

7º) Marido pão-duro
 A pão-durice, ou seja, avareza, muitas vezes está ligada ao egoísmo. Esse marido pode pagar uma quantia elevada por uma roupa para si mesmo, mas dar uma quantia irrisória para vestir sua mulher e filhos. Ele exige prestação de contas de cada centavos gasto.

Esta atitude, a longo prazo, vai tirando todo prazer de uma vida familiar. A Bíblia
compara a avareza à idolatria (Cl 3.5). Todo cristão deve alcançar em Deus vitória
nessa área. Toda insegurança precisa sair e dar lugar á paz e certeza do cuidado de
Deus.

COMO CONVIVER COM MARIDOS COMPLICADOS
Todos nós casamos com um ideal. Durante o namoro cada um de nós apresenta ao
outro a sua melhor face. Durante o namoro “estamos apaixonados”, e temos a tendência de idealizar o cônjuge amado, ampliando as virtudes e diminuindo os defeitos de personalidade. A euforia desaparece logo depois que o véu do casamento é colocado de lado e depois de terminar a lua-de-mel.

O marido pode vir para o casamento com vários dos problemas citados acima. Da
mesma forma, a esposa também vem com suas dificuldades de caráter. Um precisa do outro exatamente daquilo que podem ser incapazes de dar: compreensão e paciência. Está formado o quadro para os conflitos.

Cada casal deve descobrir o que cada um precisa fazer a fim de conseguir um
relacionamento que, progressivamente, vá melhorando. Deve verificar quais são as áreas em que mais se chocam, as que mais trazem satisfação, e assim irem crescendo juntos. Isso somente será possível se os dois tiverem um alvo em comum, o Senhor Jesus, a terceira dobra do cordão:

 “Melhor é serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho.
Porque se caírem, um levanta o companheiro; ai, porém, do que estiver só;
pois, caindo, não haverá quem o levante.
também, se dois dormirem juntos, eles se aquentarão; mas um só como se
aquentará?
Se alguém quiser prevalecer contra um, os dois lhe resistirão;
o cordão de três dobras não se rebenta com facilidade” (Ec 4.9-12).



Postar um comentário