Jejum = Amadurecimento espiritual


“E ele lhes disse: Podeis vós fazer jejuar os filhos das bodas, enquanto o esposo está com eles? 

Dias virão, porém, em que o esposo lhes será tirado, e então, naqueles dias, jejuarão. 

E disse-lhes também uma parábola: Ninguém tira um pedaço de uma roupa nova para a coser em roupa velha, pois romperá a nova e o remendo não condiz com a velha. 

E ninguém deita vinho novo em odres velhos; de outra sorte o vinho novo romperá os odres, e entornar-se-á o vinho, e os odres se estragarão; 
Mas o vinho novo deve deitar-se em odres novos, e ambos juntamente se conservarão. 

E ninguém tendo bebido o velho quer logo o novo, porque diz: Melhor é o velho.” Lucas 5:34-39

Enquanto se está tudo bem, dificilmente alguém jejua, mas quando algo sai do “script”, mudando o rumo ou controle de uma situação, imediatamente surge a motivação para avaliar o que pode ser melhorado ou mudado, e é onde muitas pessoas percebem que precisam fazer um propósito de jejum para fazer esse “balanço”.

Algumas pessoas fazem jejum no ato de barganhar com Deus, ou seja, oferecem o sacrifício em troca de algo, mas o jejum não funciona dessa forma. O objetivo do jejum é se render a Deus em total dependência, de forma a abrirmos mão de algo que gostamos muito, seja alimento ou um hábito diário, juntamente com uma busca intensa e particular com Deus, a fim de que nossa visão espiritual seja ampliada e consigamos discernir os acontecimentos de forma clara, compreendendo as estratégias que devemos tomar diante desses. À medida que nossa visão é ampliada e vamos entendendo nossa missão diante dessas situações, vamos vivendo em obediência, certos de que estamos fazendo o correto e que Deus realizará a vontade dEle, que é sempre a melhor.

Para realizarmos um jejum precisamos ter um propósito, onde o principal é a buscar por discernimento e amadurecimento espiritual. Se desejamos um milagre, que seja o propósito de compreendermos nossa atitude diante de tal situação até conquistarmos a vitória. O que precisa ficar claro é que o jejum não é uma atitude de barganha com Deus. Deus é soberano e nós os servos... se O buscarmos e prosseguirmos em conhecê-Lo, seremos Seu amigo em intimidade, mas sempre submissos a Ele, servos...

Antes de iniciarmos precisamos estipular o tempo e a forma em que será realizado esse propósito. Abra mão do que te aprisiona e te impede de buscar mais de Deus. Identifique o que ocupa demais o seu tempo e tira o seu foco. É o facebook, a novela ou qualquer outra coisa que seja ? Renuncie. Quanto mais coisas inúteis você abrir mão, em paralelo à busca intensa ao Senhor, santificando-se integralmente, mais você verá o quanto fará diferença o seu processo para se tornar um odre novo e receber o vinho novo. Se esforce !

Escolha uma refeição por dia ou um item que pra você seja indispensável diariamente. Se você nunca jejuou ou não tem o hábito de jejuar, vá realizando aos poucos, até seu organismo acostumar e não entrar em “colapso” por conta da mudança na rotina alimentar.

Não adianta escolher um ou mais itens que não façam falta pra você, mas algo que faça a diferença. Devemos deixar claro para nós mesmos o que será realizado, para que não erremos o foco.

É possível ir aumentando gradativamente o tempo de intervalo entre as refeições, como por exemplo um dia acordar às 6h e só se alimentar às 8h. No outro dia às 9h, no outro às 10h, e no outro somente na hora do almoço. Ou então se for o caso, se você é uma pessoa que não fica um dia sem tomar café puro, comece tomando café com leite e vá reduzindo, até eliminar totalmente. Agora, se a pessoa tem um problema de saúde que será agravado caso essa pessoa deixe de se alimentar, então escolha outra coisa que SIMBOLICAMENTE possa ser considerado como jejum. Alguém que precise ser medicado todas as manhãs, ao invés de eliminar o café da manhã, pode substituir por outro item, a fim de não tomar remédio com o estômago vazio e adquirir novos problemas. Nesses casos não ignore as orientações médicas / da bula. Enfim, cada um ore e busque em Deus suas próprias estratégias.

O jejum quando feito com a motivação de obter amadurecimento espiritual é como o processo de produção do vinho nos tempos de Jesus. Não se colocava o vinho novo em vasilha / odre velho, porque a vasilha tem que estar preparada para receber o vinho. Se não for assim o vinho não faz efeito, não fermenta. Da mesma forma quando remendamos uma roupa, se o pano não estiver à altura, ficará diferente. O jejum nos permite preparar a nossa vida para o novo de Deus. Se não estivermos preparados o novo de Deus pode ser que ele seja adiado ou caso venha, não aproveitemos como deveria.

O jejum deve ter um propósito e não deve ser apenas o ato de renunciar algo prazeroso. Não deve ser feito por religiosidade, por regra, mas como coração voltado para buscar o discernimento de Deus e amadurecimento espiritual.

Ass: Juliana Meni
Em 12/04/2012


Postar um comentário