Vencendo a solidão através de uma vida de oração


“Como homem o Senhor Jesus enfrentou lutas e necessitou de cuidados como qualquer enviado. A sensação da solidão foi vencida pela contínua presença do Pai na sua vida “Aquele que me enviou está comigo, não me deixou só...” (João 8.29). Jesus vencida a solidão pela conversa constante com o Pai. Os Evangelhos registram que Ele sempre buscava um lugar onde pudesse estar a sós com o Pai. Para isso, despedia as multidões e subia o monte a fim de orar. Mateus 14.23. A oração era uma prática pessoal, que Ele ensinou, dizendo “Tu, porém, quando oraste entra no teu quarto e, fechada a porta, orarás ao Teu Pai, que está em secreto, e Teu Pai que vê em secreto, te recompensará” (Mateus 6.6). A solidão pode ser vencida nesse momento de comunhão íntima com Deus, quando a alma interage com a pessoa divina e intimidade com o Senhor usufrui a Sua presença.”

“A oração comunitária é indispensável, freqüentar reuniões de oração é salutar, mas nada substitui a oração a sós com Deus. É necessário um momento solitário, porque ali abrimos a alma para expressar o que ninguém mais precisa ouvir. Quem nos entende perfeitamente se não o nosso Pai? Quem conhece as incoerências de nossa alma se não o Divino Criador? Nesses momentos solitários não devemos ser interrompidos por ninguém nem buscar companhia. Deve-se rugir das interferências, a exemplo de Moisés, que costumava tomar a tenda e armá-la para fora do acampamento, e a chamava tenda do encontro. E quando Moisés entrava na tenda, o Senhor fala com ele “face a face”, como quem fala a seu amigo. (Êxodo 33.7-11). Esse é um tempo de concentração reservado para a alma entrar em profunda comunhão espiritual, usando uma linguagem que só os céus podem discernir.”


“Desfrutar a presença de Deus é tornar a oração um diálogo, é desenvolver os sentidos e relacionar-se com Deus como um pai amoroso.”

Trechos do livro “PERSPECTIVAS DO CUIDADO MISSIONÁRIO”

Postar um comentário