REEDUCAÇÃO ALIMENTAR: Acerte nos primeiros passos


Você está ansioso pela chegada da próxima segunda-feira. Tanta expectativa tem motivo: é o dia em que você pretende dar a largada a uma séria dieta. Desta vez, porém, abandonando o radicalismo que faz os quilos perdidos voltarem em tempo recorde. Mas a consciência de que dietas restritivas não são recomendadas nem sempre é sinônimo de conhecimento sobre as regrinhas da boa alimentação. A responsável pela equipe nutricional do Minha Vida, Roberta Stella, ressalta que quem deseja seguir um programa de reeducação alimentar precisa, antes de tudo, lembrar que muitos hábitos (e garfadas) precisam ser modificados. O mais importante é não ser resistente a essas mudanças.

Fuja dos cardápios monótonos
O que não falta é variedade de frutas, legumes e verduras. Por isso, inclua muitos deles no seu cardápio. "Alimentação adequada pede variedade de alimentos", reforça Roberta. Não se esqueça de completar o menu com diferentes tipos de carnes, cereais, leguminosas, leites e derivados, grupos alimentares essenciais para a alimentação diária.

Tire o foco das calorias
Contar calorias é importante, já que é um meio para direcionar a sua dieta. Sabendo a quantidade de calorias diárias que você precisa ingerir, dá para manter o peso, emagrecer ou engordar. Porém, elas são somente uma característica da dieta. "Basear-se apenas na energia fornecida pelos alimentos pode fazer com que a quantidade dos nutrientes, como carboidratos, proteínas, vitaminas e sais minerais, não seja atingida", esclarece a nutricionista do Minha Vida.

Não descuide dos líquidos
Alimentação equilibrada inclui dois litros de água todos os dias. A quantidade é ideal para repor a perda natural do organismo e auxiliar no funcionamento do intestino.

Consuma alimentos poderosos
Busque informações nos rótulos dos alimentos e opte pelos que são nutricionalmente melhores, aconselha Roberta Stella. Ela esclarece dizendo que açúcar e farinha refinada, por exemplo, são formados por carboidratos, mas não os do melhor tipo. Dê preferência às versões integrais dos alimentos. Além de encontrar carboidratos complexos, a escolha faz com que a quantidade de fibras, minerais e vitaminas seja maior. Trocar alimentos a fim de diminuir a quantidade de gordura saturada também é relevante, por isso, prefira carnes magras, óleos e cremes vegetais.

Jamais pule refeições
Uma alimentação balanceada é composta por cinco ou seis refeições diárias. O resultado soma café-da-manhã, lanche, almoço, lanche da tarde e jantar. "Estabeleça horários para cada um, pois, assim, fica mais fácil se adaptar ao novo hábito", aconselha a nutricionista. E nem pense em prolongar o intervalo das refeições. Ficar em jejum só faz com que você chegue faminto à próxima refeição, ficando mais vulnerável às tentações.

Seja flexível consigo mesmo
Não precisa se tornar um prisioneiro da sua dieta. Tendo hábitos saudáveis, você pode se dar ao luxo de se deliciar com seus pratos preferidos de vez em quando. Para isso, é preciso apenas controlar a quantidade e também não exagerar na periodicidade do consumo.

Habitue-se a experimentar
Muita gente não consome nenhum tipo de legume alegando não gostar deles. "Algumas pessoas chegam até a ter ânsias de vômito se ingerem certos vegetais", cita a nutricionista. Quando são analisadas as preferências e a rotina alimentar, notamos que não há nenhuma atitude favorável à experimentação de novos alimentos, para que o paladar se adapte a sabores diferentes, completa. Para cumprir a primeira tarefa da reeducação do seu estômago, portanto, basta abrir a boca e a mente para provar alimentos que antes não faziam parte dos seus pratos e são indispensáveis para a saúde.


Postar um comentário