Testemunho edificante: Fé e atitudes corretas diante de Deus

QUERIDOS, PAZ !
RECEBI ESSE TESTEMUNHO E ESTOU COPARTILHANDO COM VCS PORQUE ACHEI MUITO EDIFICANTE.
UM ABRAÇO.

“Olá! Meu nome é Alexandre, tenho 28 anos e gostaria de dar um testemunho sobre o que Deus fez na minha vida profissional recentemente. Creio que o Senhor poderá abençoar outros irmãos com este relato, porque assim como Ele fez com a minha vida, fará também com a do irmão ou irmã que está passando pela mesma situação.

Sempre fui muito focado na minha vida profissional. Sempre me preparei bastante e meu foco era total em ter uma vida de sucesso profissional e conseqüentemente financeiro. Trabalhava duro, não ligava se tinha que fazer horas extras e trabalhar sem folgas. E sempre fui abençoado nesse sentido, nunca havia ficado desempregado, era um bom funcionário, elogiado por todos e sempre ganhei estimulo para continuar e buscar horizontes cada vez maiores. Havia um colega que trabalhava em outra cidade, que fazia a função que eu sonhava sempre em fazer. Uma vez disse a ele e a alguns outros colegas: “Você tem a vida que eu sempre sonhei”. Mas não sentia inveja dele, apenas gostaria de ter a mesma função que ele desempenhava. Era meu sonho.

Não demorou muito, Deus me deu a oportunidade perfeita. Ele usou a benção na vida de um outro amigo para me abençoar. Esse amigo se mudou para outra cidade e me indicou para uma vaga que havia lá. Era justamente, a mesma função que eu sempre sonhei em desempenhar e que eu havia dito antes. Tinha o detalhe de ser a mais de 1.000 km de onde eu estaria, mas pra mim não era problema algum, pelo contrário, era ainda melhor! Não tive duvidas, segui o que meu coração pedia, coloquei nas mãos do Senhor, tomei coragem e fui.

Mas com o passar do tempo algo me atormentava. Como disse o Senhor Jesus em João 16:33: “no mundo tereis aflições, mas resista, porque eu venci o mundo!” Mas eu não resisti. Fui fraco. Comecei a me sentir triste e algo me atormentava dizendo que se eu voltasse, conseguiria fácil arrumar outro emprego, na minha terra, perto das pessoas que eu amava. Pedi demissão e acabei voltando, ainda com a auto estima boa, pois não havia sido demitido, pelo contrario, tinha feito um bom trabalho lá, deixado boa impressão e as portas estariam abertas pra quando eu quisesse voltar. Pra completar a impressão de que eu estava fazendo a coisa certa, no último dia que estava lá, recebi uma ligação de um amigo me indicando para uma entrevista de emprego! Era o sinal que faltava para ter certeza, que Deus me queria de volta! 

Fiz a entrevista. Apenas aguardava o chamado e deixei nas mãos de Deus. Mas o tempo foi passando. Passando. E nada aparecia. Percebi que havia cometido um erro grave em ter retornado. Eu voltei não por causa de ninguém como havia mentido pra mim mesmo, eu voltei por falta de fé e coragem. Poderia muito bem ter resistido. As dificuldades que eu encontrei lá eram passageiras. E logo iam sumir. Mas fui fraco e como todos sabem Deus não se agrada de falta de fé. 

Comecei a buscar um novo emprego, mas não encontrava nada. Nem minha cidade anterior, onde as coisas não me motivavam mais e achava que poderia encontrar emprego quando quisesse. Nem lá as coisas apareciam. E olha que tentei... Certo dia me ofereceram um emprego. Ou melhor, um trabalho. Um cargo que eu já havia exercido antes, e me ofereceram 1 salário mínimo apenas, sem nenhuma garantia ou vínculo trabalhista. Imagina que motivador...

Fiz cadastros em sites de empregos e todas as vagas que eu olhava, nenhuma se encaixava em meu perfil. Na minha profissão, geralmente as pessoas não são contratadas por currículo ou experiência, mas sim por indicação. Como não havia nada, peguei um freela com um amigo que me aceitou onde trabalhava. Ganhava cerca de R$ 50 ou menos por cada trabalho que fazia, resultando em bem menos de 1 salário por mês, que eu havia recusado antes. E as portas continuavam todas lacradas. Me sentia derrotado, humilhado, fracassado, andando pra trás. A morte do meu sonho estava decretada. Estava no fundo do poço profissional, algo no qual eu havia sonhado, investido, dedicado, estudado, era uma ilusão. A olhos humanos era totalmente impossível que eu conseguisse o que estava pedindo.

Cheguei a procurar outros cursos de graduação, cursos técnicos, longes da área na qual eu havia me formado. Mas não me encaixava em nenhuma. Não tinha emprego pra pagar. 

Já estava desesperado! Virei para Deus e entreguei tudo em Suas mãos. Fiz um voto de 1 mês, onde eu oraria todas as noites fazendo o mesmo pedido e estabeleci um prazo para que o Senhor me atendesse. Obviamente Ele não me atendeu, pois isso quem determina é o Senhor. Aquilo aumentou ainda mais meu desespero, minha angustia e minha ansiedade. Naquele momento, o desgaste mental e emocional, do desemprego e da falta de possibilidades, começou a se refletir em meu corpo físico, ficava doente com facilidade e sentia coisas estranhas. Minha mente trabalhava contra mim. Orava sempre, mas não era suficiente. Um dia resolvi fazer jejum. Tinha que mostrar ao Senhor que estava mesmo disposto a segui-Lo, reconhecia toda a minha dependência Dele e que Ele é o Senhor da minha vida! Nunca havia feito jejum antes, mas fiz, fiquei 24h sem me alimentar e orando de 2h em 2h. Realizei 7 orações nesse dia, sempre reforçando meu pedido, de restauração completa da minha saúde e restituição da minha vida profissional e financeira, sendo bem específico, declarando a Ele o que exatamente eu queria que acontecesse. 

Não adiantou...
A desistência parecia inevitável. Não 
ouvia Deus falar comigo, apenas a “realidade” me mostrava que, se eu quisesse comer, me sustentar, eu deveria rápido buscar outra coisa. Cheguei a enviar currículos para empregos que exigiam nível fundamental. Nenhuma ligação ou resposta...

Por insistência da minha namorada, que eu não entendia o porque de estar ao lado de um fracassado juramentado, que era como eu me enxergava naquele momento, fui conversar com uma pastora. Ela me revelou a Palavra de Cristo em Marcos 11:24 “Por isso vos digo que todas as coisas que pedirdes, orando, crede receber, e receberá!” Segundo ela, eu usava a minha fé para o negativo. As circunstâncias me faziam direcionar todo o canal de fé para o “não vai acontecer”, para o negativo. E durante a conversa ela me revelou que naquele momento Deus já estava com uma porta aberta pra mim, não de um emprego qualquer, mas de um bom emprego. Como não tinha nada mais a perder, resolvi dar uma chance a fé. E passei a crer que Deus já havia aberto uma porta profissional a mim, mesmo com toda a “impossibilidade” que meus olhos viam.
 
Postar um comentário