4 Dicas para um marido dedicado reconquistar a sua amada esposa



O casamento não é uma grande conquista que é feita no namoro, é feito de várias conquistas dia após dia. É preciso reconquistar a amada várias vezes com carinho, atenção e amor sincero.

Por um motivo ou outro pode ser que a esposa tenha perdido o desejo e atração que antes tinha pelo marido, existem vários motivos que podem levar a isso, dentre esses podemos destacar a perda de confiança, a falta de atenção, falta de tempo juntos ou pode ser que devido à rotina do dia a dia o relacionamento tenha esfriado. Seja como for, tanto o marido como a mulher tem a responsabilidade de manter vivo o relacionamento. Se for o caso da mulher ter perdido o afeto pelo marido, vejamos algumas coisas que podem ser feitas para reconquistar a mulher.

Primeiro ponto: se você vai reconquistar uma mulher, você já a conquistou antes, então, você já sabe como fazer. Pode ser que com o passar do tempo tenha ficado na zona de conforto e tenha se esquecido, mas um feito que já foi realizado uma vez pode ser feito novamente, então, lembre-se da época em que vocês namoravam, lembre-se do homem que você era, do que fazia e de como agia e volte a ser esse homem. Volte a fazer as coisas que sua mulher admirava. Ela verá que mesmo com o passar dos anos, dentro de você ainda existe aquele homem que a fez se apaixonar e que a fez querer passar o resto da vida ao lado.

Peça perdão. Se você tiver feito algo de errado e por isso ela esteja chateada contigo e tenha perdido o desejo de permanecer casada por conta desse seu erro, arrependa-se e peça perdão, mas esse arrependimento deve ser permanente. Para avaliar se está mesmo arrependido verifique se passou pelos seguintes passos:

1- Reconhecer o erro. Não há como mudar de atitude se você não reconhecer que está errado, pense nos seus atos e reflita as consequências que tiveram.

2- Sentir pesar. Quando reconhecemos que fazemos algo errado nos sentimos mal por isso; se estiver triste não desanime, você está no caminho certo.

3- Confessar. Se ela ainda não souber dos seus erros ou de todos eles, é o momento de contar; pode ser dolorido para ela saber a verdade, mas será preciso.

4- Abandonar o erro. A maior prova de arrependimento é o abandono; se você realmente está arrependido, vai mudar de atitude, não cometerá novamente o mesmo erro. Depois disso peça perdão, seja sincero e tenha uma real intenção de mudar.

Dê tempo. Não há como forçar uma reconquista, então dê tempo para que ela possa absorver essa sua nova atitude e também para que ela veja que suas intenções são sinceras, principalmente se ela está ressentida com algo que você tenha feito. Só o tempo mostrará sua mudança. Faça com que ela note sua mudança mas não a force a aceitar de imediato.

Seja atraente. Se preocupe com as roupas que usa, esteja sempre com roupa limpa e bem passada, mas não exija que ela lave e passe sua roupa, faça isso você mesmo. Use o perfume que ela gosta e barbeie-se com frequência. Grande parte da conquista está em atração física. Se a famosa barriga já é uma amiga permanente não fique se lamentando, levante e vá se exercitar, mesmo que você não perca a barriga o ato de se exercitar aumentará sua autoestima e te fará ser mais confiante.

Fiquem a sós. É muito importante para o relacionamento do casal que mesmo após o casamento eles continuem a namorar, que continuem saindo para passear e que se divirtam. Então separe um tempo para passarem sozinhos, seja romântico convidando-a para algum lugar bonito e aconchegante. Você pode também preparar uma surpresa fazendo um jantar em casa à luz de velas. Se tiver filhos mande-os para a casa dos avós, algum tio ou alguém de sua confiança, mas é importante que estejam só os dois e sem distrações.


A Família na UTI.

Uma das maiores frustrações deste final de século é a crise que se abate sobre a família. A desagregação da família tira o brilho do progresso, das conquistas e da expansão do conhecimento que nosso século promoveu. Ver a família sendo destruída causa uma dor profunda na consciência dos que levam a vida a sério.

O desmoronamento da família coincide com a crise da afetividade . A essência de nossas vivências está nos relacionamentos significativos, especialmente aqueles que se dão no âmbito de vida familiar. A afetividade é uma espécie de " cimento" na construção das relações humanas, e o homem do nosso século, preso às garras do individualismo, vai excluindo da sua vida a afetividade como algo relevante.

Sob o ponto de vista terapêutico, cuidar da família implica um cuidado urgente de nós mesmos, especialmente no que se refere aos nossos sentimentos, pois eles é que dão sentido e consistência à nossa vida. Sentimentos sadios implicam em relacionamentos sadios e isso é também uma questão de aprendizagem, e exigindo um esforço de cada um de nós, para o bem da família. Aprender a amar, a valorizar os outros a respeitar, a perdoar, a esvaziar-se de si, a abraçar, a valorizar os pontos positivos das pessoas, são gestos simples que poderão produzir mudanças profundas na vida em família. Dizer "eu te amo" é muito mais fácil do que alimentar o ódio. Nenhuma família sobrevive sem amor, pois somente ele produz em nós atitudes tais como: tolerância, misericórdia, paciência, confiança, perdão e renúncia.

Um segundo cuidado urgente para salvar a família está na solidificação da relação marido/mulher, eixo básico dos relacionamentos familiares. Infelizmente, muitos filhos crescem sem ver sequer seus pais juntos, e outros, por sua vez, jamais viram os pais abraçados, vivenciando afeto e ternura. O modo de viver dos pais afeta diretamente o modo de ser dos filhos, por isso mesmo, assistimos a um crescimento assustador de filhos drogados, rebeldes, agressivos, apáticos e inseguros. Quando se fortalece as bases, toda a construção fica mais segura.

É fundamental também para a saúde da família uma revisão dos nossos valores. Estes valores devem ultrapassar o limite do material e das coisas transitórias. Quando um filho precisa de um brinquedo para sentir-se amado pelos pais; quando a esposa precisa de uma jóia para sentir-se amada pelo marido, é sinal que nesta família os valores estão invertidos, pois as pessoas devem valer pelo que são e sentem e nunca pelo que possuem ou possam oferecer.

Sobretudo, os valores espirituais como fé, a esperança e o louvor. Tentar "salvar" a família desta crise aguda sem a presença de Deus e a força do amor é, como disse Jesus, construir a casa sob areia. - ao primeiro vento forte tudo cai.


Postar um comentário