Não julgueis, para que não sejais julgados




 Mateus Capítulo 7 Versículos 1-2.
Por: Luciano Subirá / BLOG PALAVRA DO DIA



 “Não julgueis, para que não sejais julgados. Pois, com o critério com que julgardes, sereis julgados; e, com a medida com que tiverdes medido, vos medirão também”. 



Jesus ensinou sobre a lei do dar e receber e revelou que ela não funciona somente em relação ao aspecto financeiro, mas também em todas as áreas das nossas vidas. Quem dá julgamento, recebe julgamento. Quem mede as pessoas, é medido na proporção com que mede os outros.

Não há mistérios na interpretação deste princípio, pois ele é muito claro e objetivo. Foi falando destas coisas que o Senhor Jesus nos ensinou de uma forma tão explícita a abrangência de “dar e receber”: “Não julgueis e não sereis julgados; não condeneis e não sereis condenados; perdoai e sereis perdoados; dai, e dar-se-vos-á; boa medida, recalcada, sacudida, transbordante, generosamente vos darão; porque com a medida com que tiverdes medido vos medirão também” (Lc 6.37,38). Quem condena, recebe condenação. Quem perdoa, recebe perdão. Quem dá, recebe dádivas de volta.

Dentro dessa explicação de Jesus acerca de “dar e receber” podemos fazer as seguintes reflexões: Tenho me dedicado a viver este princípio? O que eu quero que façam a mim eu também faço aos outros? Qual é a minha motivação em abençoar os meus irmãos em Cristo, a Casa de Deus e a minha família? A generosidade deve ser o que nos motiva a semear, a plantar, a investir no Reino de Deus. Em Provérbios 11.25, o Senhor nos mostra qual é a recompensa que recebemos por, desinteressadamente, agir com generosidade: “O generoso prosperará; quem dá alívio aos outros, alívio receberá”.

A nossa generosidade faz com que prosperemos e o que semeamos, colhemos. Um dos textos mais citados, no que diz respeito à provisão divina, é Filipenses 4.19. Nesse versículo podemos ver a declaração de que Deus suprirá, em Cristo Jesus, cada uma das nossas necessidades, segundo as Suas riquezas em glória. Mas muitos não conseguem enxergar o fato de que esse texto não foi citado isoladamente, mas dentro de um contexto bem específico: dar e receber. Paulo disse àqueles irmãos filipenses que, por terem suprido as suas necessidades através dos donativos enviados, Deus certamente supriria as necessidades deles:

“Recebi tudo, e o que tenho é mais que suficiente. Estou amplamente suprido, agora que recebi de Epafrodito os donativos que vocês enviaram. São uma oferta de aroma suave, um sacrifício aceitável e agradável a Deus. O meu Deus suprirá todas as necessidades de vocês, de acordo com as suas gloriosas riquezas em Cristo Jesus” (Fp 4.18,19).

Se quisermos ter as nossas necessidades supridas, devemos ser instrumentos de suprimento a outros. Muitos impedem que as bênçãos do Senhor cheguem até suas vidas por não agirem com generosidade. Irmãos, Deus estabeleceu a lei do dar e receber com propósito duplo: abençoar o Seu Reino e as nossas vidas. Portanto, andemos na visão do Senhor e aprendamos com Jesus a oferecer a melhor medida do que temos, sabendo que conforme medirmos seremos medidos.

Tenha um excelente dia!

MSG DO MINISTERIO PALAVRA DO DIA
BY MICHELE COUTINHO
Postar um comentário